20/02/2017

Entre a Estrela e o Tejo



Está prevista a realização no Fundão, entre os dias 28 e 30 de Abril próximo, das I Jornadas de Arqueologia e Património: entre a Estrela e o Tejo, subordinadas ao tema geral Paisagens de Destino e de Passagens.

É uma organização da Câmara Municipal do Fundão, através do seu Museu Arqueológico Municipal, e que conta com o apoio do Museu Nacional de Arqueologia.

A compreensão dos ritmos de povoamento desde a Pré-história até aos nossos dias e as modelações em perspectivas sincrónicas e diacrónicas das paisagens vivenciais das comunidades que se imbricaram na faixa de território compreendido entre o rio Tejo e a Serra da Estrela constituem as grandes linhas orientadoras das Jornadas.

Brevemente será disponibilizado o site com toda a informação necessária. Entretanto, quaisquer contactos poderão desde já ser feitos através do seguinte e-mail: geralmuseu@cm-fundao.pt

Loulé: Território, Memória e Identidade



Declarações do Presidente da Câmara Municipal de Loulé, ao jornal Barlavento

«Durante 9 meses iremos estar na vitrina do país, com uma exposição organizada pelo Museu Nacional de Arqueologia, na ala poente do Mosteiro dos Jerónimos. Será um momento alto, pois nunca Loulé se mostrou assim.

Iremos mobilizar todas as escolas para se organizarem de modo a puderem visitar esta exposição, e eu próprio irei lá estar muitas vezes. A exposição irá ter um catálogo próprio publicado pela Imprensa Nacional Casa da Moeda. Vai ser fabuloso». 

16/02/2017

Concerto de apresentação do novo álbum de Maja Milinkovic

Concerto de apresentação do novo álbum de Maja Milinkovic, «Fado é Sorte»,e de solidariedade com a Cáritas Diocesana de Lisboa, no Salão Nobre do Museu Nacional de Arqueologia, Praça do Império, em Lisboa, no dia 3 de Março, às 21:30h.
Bilhetes disponíveis: mmf.reservas@gmail.com , tlm: 932 993 113 

Preço 12,00€

Reserva e Confirmação obrigatórias.

Dadas as condicionantes da sala, não se garante a disponibilidade de ingressos, no dia e local do concerto.





Aprender latim no Museu

«Aprender latim no Museu», uma iniciativa da Associação Clenardus: Promoção e Ensino das Línguas e Cultura Clássicas e do Museu Nacional de Arqueologia, a realizar a muito curto prazo.

Acompanhe-nos!





14/02/2017

Dia dos namorados



Comemorando o Dia dos Namorados, o MNA apresenta um Lenço de Namorados, da sua pequena, mas interessante coleção de Têxteis. Com o Nº de Inventário ETNO 7028, está disponível on-line através do programa MatrizNet, tendo integrado a exposição “O Ponto de Cruz – a grande encruzilhada do Imaginário” realizada pelo Museu de Arte Popular em 1998.
Trata-se de um lenço em tecido de algodão branco, bordado a ponto de cruz com fios de cores vermelha e azul.
Apresenta ao centro e nos quatro cantos flores e elementos geométricos estilizados, de simbologia amorosa: custódias, cruzes, par de namorados, pombas, cão. Os pombos têm sido identificados como um símbolo do amor e da devoção desde tempos imemoriais, fazendo parte da mitologia grega e romana. 
Numa das lendas, conta-se que a deusa do amor e da fertilidade, Afrodite/Vénus, nasceu numa carruagem puxada por pombas. 
A associação da pomba a Vénus, deusa do amor, é também referida na obra «Sátiras» do poeta e retórico romano dos séculos I-II d.C. Juvenal (VI, 548-552).
Ainda segundo o mito, as Plêiades, que eram sete irmãs, filhas de Atlas, um titã condenado por Zeus a sustentar o céu, e de Pleione, filha do titã Oceano e protetora dos marinheiros, foram transformadas por Zeus em pombas que as colocou no Céu, entre as estrelas, para protegê-las das incansáveis investidas amorosas de Órion. Conotada com a pureza e a simplicidade, é a ave que, no Antigo Testamento, leva o ramo de oliveira a Noé, como símbolo de paz, harmonia, esperança e felicidade. No Novo Testamento simboliza o Espírito Santo.
A pomba aparece sempre ligada à ideia de mensageira e existem várias referências de escritores da Antiguidade Greco-romana aos pombos correio, designadamente em Aristóteles e Plínio, conhecendo-se a existência de pombais fixos e móveis do período romano, pois eram já usados na estratégia militar de suas legiões.
No caso presente, os pombos são, efetivamente, os mensageiros do Amor.
O cão, embora de simbologia milenar, surge-nos aqui muito possivelmente associado à ideia de fidelidade e lealdade, pois é guardião e protetor.
Por sua vez, as silvas também estão associadas na Antiguidade ao amor de Afrodite/Vénus com Adónis. 
Ares/Marte, o deus da Guerra e amante de Vénus não suportou ser atraiçoado e, por esse decide atacá-lo enviando um javali que lhe desferiu um golpe mortal. Também a Mitologia nos diz que que quando Afrodite viu Adónis ferido, pairando sobre a morte, a deusa foi socorrê-lo, tendo-se picado num espinho e seu sangue coloriu as rosas que lhe eram consagradas.
Muito possivelmente aqui representarão as provações do amor.
Rodeando o elemento central do lenço de namorados foi inscrita uma primeira quadra: " BAI LENCO. BEMTOROSO / AMA O. DOMEU. BEM PARAR BAI LENCO. POSSUIROR / UE LV NAO. POS. O LUCAR. Uma segunda quadra é inscrita junto à bainha: " BAI TE. LENCO. BENTUROSO / RESPONDE SAUEFALARPRE / CUNNTAPELA. SAUD. QUE. ISTA / NO PRIMEIRO LOCARNI." Os cantos estão preenchidos com albarradas floridas e silvas. Terminam com bainha decorada com motivos em zig-zag.

Ana Isabel Santos e Filomena Barata

Coro Laudate no MNA

Domingo, no Museu Nacional de Arqueologia, ocorreu mais um espetáculo proporcionado pelo Coro Laudate, desta feita dedicado ao Canto Gregoriando.











13/02/2017

2º Encontro de Guias-Intérpretes, Operadores e Promotores Turístico-Culturais.

Realizou-se hoje no Museu Nacional de Arqueologia o 2º Encontro de Guias-Intérpretes, Operadores e Promotores Turístico-Culturais.
Neste encontro imperou o debate e a troca de ideias no sentido de possibilitar uma gestão eficaz dos fluxos de públicos.







Peça do mês de fevereiro de 2017

O vídeo da peça do mês de fevereiro de 2017, o tesouro funerário do Gaio, apresentado por Mário Varela Gomes, já se encontra disponível no canal Youtube do Museu Nacional de Arqueologia.



10/02/2017

"Museus Comunitários em Portugal e no Brasil - Experiências e aprendizagens"

Realizou-se ontem no Museu Nacional de Arqueologia o encontro "Museus Comunitários em Portugal e no Brasil - Experiências e aprendizagens", no âmbicional to do Projeto #EULACMuseums, e em parceria com o Departamento de Museologia da Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias.

Neste encontro foi possível conhecer experiências de museus comunitários e realizar um debate com todos os participantes.

















Lançamento de livro

Decorreu no Museu Nacional de Arqueologia o lançamento do livro "Síria, do Mediterrâneo ao Eufrates, da autoria de Helena Sintra Delgado, Joaquina Carita, Luís Manuel de Araújo, Nair Alexandra e Natércia Magalhães.

A apresentação da obra ficou a cargo de Luís Raposo.

Interveio ainda o Doutor Jorge Sampaio, aintigo Presidente da República Portuguesa.